Com a primeira edição do Troféu X-Trophy a aproximar-se a passos largos do final, coube à acolhedora vila de Coruche receber a quarta e penúltima prova deste troféu pioneiro em Portugal. Esta prova teve também as honras de abertura do Troféu de Resistências promovido pela Federação de Motociclismo de Portugal, um novo formato de competição no seio do órgão federativo.   Para além das competições nacionais, o X-TROPHY CORUCHE 2017 integrou também o Troféu Ibérico Offtrack, trazendo até nós alguns pilotos espanhóis.

Cumprindo a regra do troféu, compareceu novamente uma vasta caravana de participantes, muitos deles consagrados e bem conhecidos dos campeonatos nacionais, tanto nas motos como nos quads.

A entidade organizadora desta prova, o Moto Clube Sacho preparou o mais longo traçado do X-Trophy até à data, com mais de 21 quilómetros desenhados em zonas de eucaliptal e montado. O traçado já de si exigente e muito rápido em condições de piso seco, viu o nível de dificuldade e exigência aumentar bastante fruto das chuvas que caíram sobretudo antes do evento.

O clima, apesar de ameaçador, acabou por poupar os pilotos a grandes chuvadas,  tendo chovido com alguma intensidade apenas durante alguns períodos da prova dos quads, mas ainda assim sem ser algo de complicado ou prolongado.

Na competição dos quads estavam, entre outros, “Beto” Borrego e Arnaldo Martins pilotos bem conhecidos do nacional. A expectativa era de que os principais animadores da luta pela vitória fossem estes dois, com Beto Borrego a ser o principal foco de atenção, pois poderia ter-se sagrado já vencedor do primeiro troféu X-Trophy, uma vez que estava em situação muito privilegiada para o fazer.

Mas com uma lista de participantes muito vasta e com uma pista exigente pela frente era mais do que provável que pudessem acontecer algumas surpresas.  Beto Borrego ainda passou pelo comando da prova, mas depois acabaria por se atrasar logo à terceira volta com problemas na sua moto, e na seguinte viria mesmo a parar.  Nesta altura era Rodrigo Pagaime e Daniel Bernardo vinham no encalço de Borrego e envolvidos numa emocionante e interessante luta, com a vantagem a recair sobre Pagaime que agora liderava a corrida. Ambos chegaram a trocar de posições em pista, com a decisão algo inesperada e dramática do resultado final a ter lugar a escassos metros de terminar.  Daniel Bernardo tinha reparado que a sua moto estava a aquecer e percebendo que o seu adversário estava com um ritmo muito forte optou por abrandar um pouco, segurando o segundo lugar e poupando a mecânica ao seu quad. Mas para sua grande surpresa (e dos restantes) quando estava quase a chegar ao fim viu o quad do seu adversário parado, herdando assim o primeiro lugar depois de uma luta muito intensa onde houve até lugar a alguns sustos.

Bastante satisfeito ficou também o Espanhol Oscar Jaramillo, que com os azares dos que vinham à sua frente foi calmamente subindo lugares até atingir o segundo posto.  Arnaldo Martins fechou o pódio, com um sólido terceiro lugar.


Nas motos a história poder-se-á contar em poucas palavras, pois Sebastien Buhler dominou a corrida de início ao fim de forma incontestada. A sua rapidez permitiu-lhe rapidamente ganhar uma distância face aos seus adversários e depois manter-se em prova a um ritmo suficientemente veloz para que nenhum deles se conseguisse sequer chegar perto.

O principal perseguidor de Buhler foi sempre Martin Ventura.  O jovem piloto da Yamaha conseguiu mais um excelente resultado, e somar preciosos pontos para a classificação do troféu. A fechar o pódio terminou Nelson Cunha, continuando também ele a sequência de bons resultados pois vem de um quarto lugar conseguido em Ponte de Sor.

A principal supressa desta classificação foi ver o nome de "Beto" Borrego em quarto lugar da geral, numa categoria onde habitualmente não participa. Borrego que ficou pelo caminho nos quads, inscreveu-se também para a prova de motos, e mesmo arrancando de último conseguiu o feito impressionante de terminar em quarto, tendo ultrapassado 75 motos durante as quase duas horas de prova.

Luís Pirralho, da X-Adventure, entidade promotora do Troféu X-Trophy:

"Foi um fim de semana longo, cansativo e em que o clima não ajudou, mas acredito que temos muitas razões para estarmos satisfeitos.  No sábado, a Buggy Race revelou aqui várias surpresas que há algum tempo se vinham a preparar, e que prometem ir animar e muito o campeonato de todo o terreno em 2017.   Hoje, com a continuação do X-Trophy tivemos aqui duas excelentes corridas, bastante exigentes e que obrigaram homens e máquinas a darem o seu melhor para alcançarem um bom resultado.
Esta prova deu também inicio ao novo troféu da Federação, e penso que foi uma excelente forma de começar, com duas boas listas de inscritos. Também os nossos amigos espanhóis que nos visitaram e participaram nesta prova que integra também o Campeonato Offtrack têm motivos para terem saído daqui bastante satisfeitos.
Quero agradecer a todos quantos aqui estiveram e participaram na prova, agradecer também aos nossos parceiros, à equipa de comissários e ao público que até aqui se deslocou mesmo com o clima a estar algo desagradável.  Agora vamos concluir o trabalho para a última prova que é já no próximo mês.”


O X-TROPHY CORUCHE 2017 teve o apoio do Município de Coruche e da União de Freguesias de Coruche, Fajarda e Erra.
O Troféu X-Trophy 2016/2017 tem como principais parceiros a X-Adventure, a FMP - Federação de Motociclismo de Portugal, a GoldSpeed, a Polisport, O Monte Macário, A revista Moto Jornal, O Site Todoterreno.pt, o TR4 Digital, e o portal Imagensdesportivas.com

As classificações podem ser encontradas no site oficial, em www.x-adventure.org

 


Disputou-se este sábado a Buggy Race 2017, a 1ª prova do fim de semana de todo o terreno em Coruche que inclui ainda as provas de motos e quads participantes no X-Trophy 2016/2017 disputadas no domingo.
A prova organizada pelo Moto Clube Sacho com o apoio da X-Adventure foi também palco do arranque do Troféu de Resistências, uma nova competição promovida pela Federação de Motociclismo de Portugal. As lista de participantes com quase duas dezenas de pilotos reunia um considerável número de máquinas novas e até novos pilotos que dão agora os seus passos ao volante de um SSV depois de anos com outro tipo de viaturas, caso de Pedro Grancha que também estreou aqui um CanAm Maverick.
Bruno Martins, também ele ao volante de um dos novos CanAm Maverick X3 cedo começou o seu domínio da prova, pois foi o mais rápido nos treinos cronometrados, garantido assim a "pole position".  Atrás de si, em viatura semelhante João Monteiro era o segundo, precisando de apenas mais 16 segundos para percorrer o rápido mas exigente traçado desenhado nas florestas a norte de Coruche. O "pódio dos treinos" ficou completo com mais um CanAm, desta feita o conduzido por Avelino Luís.
No que diz respeito á classificação geral da Buggy Race, Bruno Martins assumiu a liderança logo desde o inicio da prova, e ao longo das duas exigentes horas de competição teve em Avelino Luís o seu mais direto adversário que andou sempre por muito perto procurando também ele a vitória na corrida.  Apesar dos esforços de Avelino Luís, as posições não se alteraram até final, com Bruno Martins a ser o vencedor enquanto o seu companheiro de equipa terminava assim em segundo lugar.
Marco Silva, em Yamaha foi o terceiro classificado, mas só teve a sua posição garantida no final, depois de um azarado João Monteiro lhe ceder a posição já no final.  Na verdade, João Monteiro começou a corrida com o pé esquerdo: Arrancando do segundo lugar, ficou parado na primeira curva logo após a partida, acabando por descer último. Depois imprimiu uma recuperação notável até alcançar o terceiro lugar, até que, já na última volta acabaria por voltar a descer posições fruto de uma avaria mecânica.
A classe principal, a SSV teve os primeiros lugares ordenados da mesma forma que a classificação geral.  A classe SSV agrupa todos os antigamente denominados Buggy e UTV numa única classe, pelo que não há qualquer distinção quanto ao tipo de configuração das viaturas.
Já na classe Hobby, que se destina a pilotos amadores ou federados, mas que não tenham participado em nenhuma prova das duas últimas edições do CNTT Buggy/UTV promovido pela FMP(2015 e 2016), e cujas viaturas cumpram os requisitos da
classe SSV foi o estreante Pedro Grancha quem venceu.  Grancha, vindo dos automóveis é um piloto muito experiente em todo o terreno, e rapidamente ganhou ritmo, também ele com um Can AM, e não só venceu a Classe Hobby como conseguiu ainda chegar até quinto da geral.  Em segundo lugar na classe terminou Jorge Arsénio em Dazon.

Luis Pirralho, da X-Adventure:

"Penso que tivemos aqui uma corrida muito disputada, que deixa muito bons indicadores quer para o CNTT quer para o Troféu de Resistências. Tivemos bastantes novidades aqui presentes, quer ao nível de viaturas presentes, quer de pilotos. A corrida correu bem, sem incidentes e penso que os pilotos e o público vão daqui satisfeitos."
"Amanhã as corridas continuam, com as provas integrantes do X-TROPHY CORUCHE 2017, com duas excelentes listas de inscritos nos quads e nas motos.  Esta prova irá não só contar para o Troféu X-Trophy como ainda integrar também o recém criado Troféu de Resistências e o Campeonato Ibérico Offtrack", concluiu


A Buggy Race tem como principais parceiros a X-Adventure, a FMP - Federação de Motociclismo de Portugal, o Município de Coruche, a União de Freguesias de Coruche, Fajarda e Erra, a GoldSpeed, a Polisport, O Monte Macário, A revista Moto Jornal, O Site Todoterreno.pt, o TR4 Digital, e o portal Imagensdesportivas.com

Mais informações sobre a Buggy Race 2017 podem ser obtidas no site oficial em www.x-adventure.org

GALERIA DE IMAGENS DISPONIVEL AQUI.

 

RESUMO VIDEO DA PROVA

 

Bruno Martins - Vencedor

 

Avelino Luis - Segundo classificado

 

Marco Silva - Terceiro classificado  Pedro Grancha - Vencedor da classe Hobby